terça-feira, 14 de julho de 2015

Curiosidades de Sobral


Fábrica de Tecidos

No local onde surge a fábrica de tecidos, inaugurada em julho de 1895, havia um rochedo de pedras graníticas, em que se viam pintados com tinta vermelha sinais hieroglíficos, rostos humanos e outras figuras. Aí, segundo velha tradição, feriu-se encarniçado combate entre um grupo de índios e soldados portugueses, e os tapuias existentes no vale do Acaraú.

Escavações procedidas por nós no leito da Lagoa da Fazenda e suas adjacências demonstraram que em épocas remotas existia um riacho, vindo do pé da Serra da Meruoca, e passando pela frente do atual prédio do Seminário Diocesano, rumo ao Acaraú. Com efeito, após uma camada homogênea de massapê de quatro metros de espessura, encontram-se sempre areia grossa alvíssima e seixos roliços, tal qual se vê no leito dos rios.

A Oeste da velha fazenda projeta-se na distância de alguns quilômetros a Serra da Meruoca, antigamente chamada de Beruoca, com os seus píncaros verdejantes e suas linhas sinuosas, de um lindo azul escuro, formando um empolgante panorama, digno do pincel de artista.

Quase em continuação surge à esquerda a Serra do Rosário, separada apenas por um boqueirão fertilíssimo e abundante d’água, onde nos tempos calamitosos das secas se refugiam e escapavam centenas de cabeças de gado vacum e cavalar. Ambas estas serras foram sempre o inesgotável celeiro de Sobral.

Foi justamente na fazenda Caiçara que o visitador Lino Gomes Correia descansou em julho de 1742, vindo da povoação de São José, hoje Patriarca, em demanda do Riacho Guimarães, e resolveu fosse ai a sede do Curato do Acaraú, por ser mais ou menos o seu centro.

Não foi difícil conseguir o terreno para a igreja, pois o capitão Antonio Rodrigues Magalhães prontificou-se a cedê-lo de boa vontade, e assim ficou definitivamente determinada a sede do Curato, berço da atual opulenta cidade de Sobral.

História de Sobral - Dom José

Nenhum comentário:

Postar um comentário